quarta 23 abril 2014 . 08:41 . Atualizado às 08:33

plus/TV

RSS

Morando com Márcia (Elizabeth Savala) após ser rechaçado por Pilar (Susana Vieira), Félix (Mateus Solano) pede a ex-chacrete que lhe explique o porquê de ela lhe chamar de 'meu menininho'

[ i ] Félix se comove com a história, com a atitude da ex-chacrete e os dois se abraçam longamente Foto: Reprodução Félix se comove com a história, com a atitude da ex-chacrete e os dois se abraçam longamente

Rio de Janeiro – Félix (Mateus Solano) vai se confrontar com seu passado em ‘Amor à vida’. Mas o autor Walcyr Carrasco mudou o que estava previamente na sinopse. Afinal, a novela foi estendida até dia 31 de janeiro - inicialmente, ela terminaria em dezembro - e muita coisa teve que ser mexida para a trama render.

Morando com Márcia (Elizabeth Savala) após ser rechaçado por Pilar (Susana Vieira), Félix pede a ex-chacrete que lhe explique o porquê de ela lhe chamar de 'meu menininho'.

"Bem, é uma historia que me faz chorar. Mas enfim, você tem o direito de saber. Eu era uma chacrete famosa, saía nas revistas, dava entrevista. E quando terminou o programa, eu ainda fiz muitos shows. Mas aí eu fiquei grávida", diz Márcia.

Félix indaga se era Valdirene (Tatá Werneck), mas ela nega. "Não, não da Valdirene. De um menino, que morreu logo que nasceu... E eu não me conformava, porque eu tinha perdido o meu menino. Eu não podia dançar, tava sem dinheiro, e então uma amiga, que foi chacrete, mas já tava bem casada, estudando... enfim, que tomou outro rumo na vida...soube de uma família que tinha um menininho recém-nascido. O parto do menininho tinha sido difícil e a mãe não tinha leite. Era uma família de médicos e eles queriam amamentar o bebê com leite materno", conta a ex-chacrete.

Márcia continua a história e choca Félix ao contar que o casal queria além de uma ama de leite uma babá para os dois filhos.

"Então, eu tinha um irmão? Por que o bebê era eu, certamente", indaga. "Exatamente, o bebê era você. E o outro menino, o Cristiano, tinha três pra quatro anos de idade. O meu peito doía. Você não imagina a felicidade que eu tive de sentir um bebê sugando o meu seio. Era como se fosse o meu próprio filho", diz a ex-dançarina.

Então, entra um flashback mostrando Márcia jovem cuidando dos dois meninos.

"Você pode imaginar o que aconteceu na minha cabeça, né? O meu próprio filho tinha acabado de morrer e eu dava o leite que era dele para você. E você sugava, sugava e eu me sentia feliz, eu me sentia tão bem tendo você, o meu menininho, no colo", emociona-se a vendedora de hot dog.

O ex-presidente do San Magno quer saber o que aconteceu com seu irmão. Márcia, então, conta que aconteceu uma tragédia.

"Você era um bebê que chorava muito, que dava muito trabalho, mas eu dava conta dos dois. Os meses foram passando. A sua mãe ainda trabalhava no hospital como médica dermatologista e eu ficava com vocês dois o dia todo. Eu gostava tanto. Um dia, a gente tava no jardim, perto da piscina. Você começou a chorar no carrinho, que tava um pouco distante. Eu sempre deixava o carrinho longe da piscina", explica a ex-chacrete, que continua: "Era só a chupeta que tinha caído da sua boca, então, eu te embalei um pouco, para você dormir. Mas quando eu cheguei perto da piscina, o seu irmãozinho tinha caído. Eu ainda tentei salvar ele, eu já tinha visto filmes com gente fazendo respiração boca a boca".

Félix se surpreende a cada revelação. E Márcia ainda conta que foi para cadeia por conta disso.

"Os seus pais vieram e a sua mãe gritou, me acusou. O seu pai, apesar da dor, foi mais calmo. Mas, mesmo assim, ele não impediu a sua mãe de se vingar de mim”, diz a mãe de Valdirene. “A dona Pilar é uma mulher vingativa. Ela me acusou, me levou pros tribunais. Mas eu não tinha culpa, porque eu tinha que cuidar dos dois, eu corri pra te acudir, porque você chorou", explica a ex-dançarina.

O vilão se sente culpado, mas Márcia diz que um bebê não tem culpa de chorar e que tentou explicar que foi acudi-lo.

"Mas fui condenada. Não como se tivesse cometido um crime de morte de propósito, mas pela negligência, enfim, a sua mãe não descansou até me ver na cadeia. Fiquei presa pouco mais de um ano. Mas quando eu saí, quem ia me querer como babá? Eu voltei a dançar. Eu cheguei a ser garota de programa", conta Márcia.

Emocionada, a ex-chacrete afirma que se ela tivesse continuado sendo babá dele, nunca teria faltado amor ao vilão.

"Você nunca teria se tornado um homem capaz de jogar uma criança numa caçamba. Você nunca ia achar que a sua irmã era uma intrusa, porque eu ia te ensinar a gostar dela. Mas eu fui embora e te deixei sozinho. Tão sozinho que você cresceu cheio de ódio", acredita Márcia.

Félix se comove com a história, com a atitude da ex-chacrete e os dois se abraçam longamente.

 

No D24am.com, você pode comentar também a partir das redes sociais mais populares. Você só precisa logar-se na rede de sua preferência. Todos os comentários serão moderados pelo D24am.com

Serão rejeitadas mensagens que desrespeitem a lei, apresentem linguagem ou material obsceno ou ofensivo, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do d24am.com. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.