domingo 20 abril 2014 . 05:06 . Atualizado às 20:45

notícias/Amazonas

RSS

O caso foi descoberto depois que ela contou para a irmã de 12 anos que estava sentindo muita dor.

Manaus - Uma menina de 5 anos foi estuprada na última terça-feira e o suspeito do crime é o padrasto dela de 22 anos de idade, informou a titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Deapca), Linda Gláucia. A menina morava com a mãe e o padrasto, na Rua Tupi, no Novo Israel.

O caso foi descoberto depois que ela contou para a irmã de 12 anos que estava sentindo muita dor. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que o ânus da criança foi muito machucado durante o estupro e por isso, no dia de hoje, ela passou por cirurgia no Hospital Francisca Mendes.

“A avó paterna buscou a menina na casa do padrasto para passar o dia com a família do pai. A criança contou para a irmã que estava com dor no bumbum e a irmã contou para avó. A avó desconfiou do crime e decidiu ligar para o pai da criança”, relatou a delegada.

Ao chegar em casa, o pai foi até a base da 18ª Companhia Interativa Comunitária (18ª Cicom) da Polícia Militar. Os policiais foram até a casa do padrasto que negou o crime, mas foi levado até a delegacia para prestar esclarecimento. Depois de o médico legista confirmar que a criança foi estuprada, o padrasto foi preso. Ele vai responder pelo crime de estupro.

“O padastro negou o crime, mas foi coletado material genético dele e da criança que vai confirmar ou não que ele é o autor do crime. A vítima, apesar da dificuldade de falar por conta da pouca idade, confirma que foi ele quem a estuprou”, disse.

No D24am.com, você pode comentar também a partir das redes sociais mais populares. Você só precisa logar-se na rede de sua preferência. Todos os comentários serão moderados pelo D24am.com

Serão rejeitadas mensagens que desrespeitem a lei, apresentem linguagem ou material obsceno ou ofensivo, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do d24am.com. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores.